Clube Nora Roberts

Por favor Entre ou registe-se.

Autor Tópico: Padrões  (Lida 8278 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Ana.Filipa

  • Aprendiz
  • *
  • Mensagens: 10
    • Ver Perfil
Padrões
« em: Abril 18, 2010, 23:28:17 pm »
Geralmente as personagens das trilogias da Nora Roberts têm um padrão:

~ Uma personagem feminina, organizada, metódica;
~ Uma personagem altiva, teimosa, inteligente e sábia;
~ Uma personagem corajosa e mais, digamos, masculina.

Pessoalmente, as personagens que mais aprecio são as femininas, por exemplo, a Malory Price. E vocês?
"Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida." Provérbio Chinês

Offline Vespa

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 10.476
  • A leitura nutre a inteligência
    • Ver Perfil
Re: Padrões
« Responder #1 em: Abril 19, 2010, 17:03:13 pm »
Eu gosto de personagens fortes e corajosas, mas não as considero nada masculinas. Gosto de personagens como a Eve Dallas, a Ripley Todd, a Meg Galloway, a Maggie Concannon, etc...
Acho que são mulheres que se fazem de fortes e até são um pouco bruscas, mas fazem-no de forma a evitarem ser magoadas e sofrer.
A vida só pode ser compreendida olhando para trás, mas só pode ser vivida olhando para a frente (Soren Kierkegaard)


Offline isa_correia

  • Global Moderator
  • Bibliófilo
  • *****
  • Mensagens: 12.736
    • Ver Perfil
Re: Padrões
« Responder #2 em: Abril 20, 2010, 18:02:05 pm »
As minhas personagens femininas fortes e corajosas! Não penso que sejam masculinas, apenas são fortes e decididas e tem uma personalidade forte, mas podem continuar a ser bastante femininas na mesma :)
Jinhos e boas leituras
Isa

"A solidão não existe para o intelectual, para o homem que pensa e lê. Todos podem temê-la, menos ele o homem habituado a encontrar dentro de si o mundo."

Offline sonia.cristina

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 28.006
  • Recicla. O mundo é o nosso jardim.
    • Ver Perfil
Re: Padrões
« Responder #3 em: Abril 21, 2010, 11:25:25 am »
As personagens femininas têm todas muita força, coragem, etc... Umas de uma maneira, outras de outra maneira... Por exemplo, a Laura da trilogia do sonho é uma mulher forte, mas quando casou com o primeiro marido era uma mulherzinha imbecil que não via o que tinha à frente. Há maneiras de ser forte, uma não é melhor que a outra, apenas diferente.

Acho também que a Nora tem muitas personagens femininas que são umas autênticas cabeças de alho chocho, a fazerem-se passar por inteligentes. Essas personagens não me convencem, simplesmente não faz clique a maneira de ser delas com o resto... Há ali alguma coisa que não bate certo, não faz uma personagem coerente por inteiro. É mesmo como se tivessem pegado numa pessoa e forçar-lhe as características, o caracter... Não sei como explicar...
You never needed to hear my thoughts, Gray, because you always listened to my heart.
Dillon to Gray, in Eternal Beast, by Laura Wright

Offline sue

  • Leitor compulsivo
  • ****
  • Mensagens: 949
    • Ver Perfil
Re: Padrões
« Responder #4 em: Julho 22, 2010, 23:27:22 pm »
O que mais admiro nas personagens são a força e a coragem , mas há realmente 3 Padrões, as que são timidas, frageis, e depois encontram a coragem, as que se fazem de fortes, rudes e curajosas para esconder a propria fragilidade, e por ultimo as que são fortes e femeninas e o mostram abertamente (mas tambem essas teem dentro delas uma certa fragilidade).

Em suma a beleza, a coragem, a sensibilidade e a força são caracteristicas tipicas de todas as personagens, mas umas são mais obvias do que outras, e só ao longo da historia se descobrem as outras caracteristicas.
Não vemos as coisas como são, vemos as coisas como somos.

Offline sonia189

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 13.094
  • Book addict
    • Ver Perfil
    • Blog
Re: Padrões
« Responder #5 em: Novembro 23, 2010, 22:07:29 pm »
Um padrão que acontece cada vez mais nas histórias da Nora é o facto de todas elas, de uma maneira ou de outra, serem confiantes e competentes profissional e socialmente. Parece que nesse campo nunca têm dúvidas ou problemas ou entraves, resolvem sempre as coisas...e se são mais "coitadinhas" é porque têm um passado de abuso qualquer.
Há pessoas que são mais quietas e que ao mudarem podiam ser excelentes heroinas...cansa-me um bocado que sejam tão perfeitinhas em tudo...quer dizer, gosto dos livros, mas elas não são assim tão realistas...lol
****
** Sónia **

"You say the nicest things" Butch in LR
"Say the word, Qhuinn..." B to Q in LM

"You can get addicted to a certain kind of sadness" by Gotye

Offline sonia.cristina

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 28.006
  • Recicla. O mundo é o nosso jardim.
    • Ver Perfil
Re: Padrões
« Responder #6 em: Novembro 23, 2010, 22:12:19 pm »
Há pessoas que são mais quietas e que ao mudarem podiam ser excelentes heroinas...cansa-me um bocado que sejam tão perfeitinhas em tudo...quer dizer, gosto dos livros, mas elas não são assim tão realistas...lol
****

Concordo contigo. Para mim, um bom livro tem de me convencer que é real ou "se fosse verdade, seria assim". E perfeição é coisa que não existe. Por muito bem sucedida e profissional que uma pessoa seja, também erra, se engana e se estrafega no dia-a-dia... Tanta perfeição nas personagens de Nora Roberts, principalmente nas raparigas, afasta-as da realidade.
You never needed to hear my thoughts, Gray, because you always listened to my heart.
Dillon to Gray, in Eternal Beast, by Laura Wright

Offline sonia189

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 13.094
  • Book addict
    • Ver Perfil
    • Blog
Re: Padrões
« Responder #7 em: Novembro 23, 2010, 22:16:00 pm »
Pois é...tenho tentado pensar numa heroina dela que não fosse perfeita nesses aspectos e só me consigo lembrar de 2 numas das histórias mais antigas, mas só não eram perfeitas porque eram umas cabeças no ar lol
Ora assim também não...
****
** Sónia **

"You say the nicest things" Butch in LR
"Say the word, Qhuinn..." B to Q in LM

"You can get addicted to a certain kind of sadness" by Gotye

Offline Story

  • Leitor compulsivo
  • ****
  • Mensagens: 690
    • Ver Perfil
Re: Padrões
« Responder #8 em: Novembro 23, 2010, 22:20:42 pm »
Há pessoas que são mais quietas e que ao mudarem podiam ser excelentes heroinas...cansa-me um bocado que sejam tão perfeitinhas em tudo...quer dizer, gosto dos livros, mas elas não são assim tão realistas...lol
****

Concordo contigo. Para mim, um bom livro tem de me convencer que é real ou "se fosse verdade, seria assim". E perfeição é coisa que não existe. Por muito bem sucedida e profissional que uma pessoa seja, também erra, se engana e se estrafega no dia-a-dia... Tanta perfeição nas personagens de Nora Roberts, principalmente nas raparigas, afasta-as da realidade.

Concordo com vocês.
Por vezes, à certas a atitudes que têm ou qualidades que possuem que só me apetece entrar livro adentro e pregar-lhes dois estalos...lol
A forma como reagem às situações por vezes parece surreal...
Será que pensamos assim por sermos latinas e a nossa sociedade e cultura ser bem diferente à dos países anglo-saxónicos???
Que dias há que na alma me tem posto
Um não sei quê, que nasce não sei onde
Vem não sei como e doi não sei porquê...

Luís Vaz de Camões

Offline sonia.cristina

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 28.006
  • Recicla. O mundo é o nosso jardim.
    • Ver Perfil
Re: Padrões
« Responder #9 em: Novembro 23, 2010, 22:28:12 pm »
Será que pensamos assim por sermos latinas e a nossa sociedade e cultura ser bem diferente à dos países anglo-saxónicos???

Acredito que a sociedade em que vivemos nos faça estranhar certas situações que os americanos vêem/reagem de maneira diferente, mas não neste caso que estamos a falar, sobre a perfeições em (quase) todos os aspectos das personagens de NR... Perfeição é coisa que não existe seja em que sociedade for.

Outra coisa que se observa muito é a naturalidade com que as persoangens aceitam situações fora do comum. Estou agora a referir-me especialmente à trilogia Sign of Seven, aquilo é completamente surreal. A forma como 3 mulheres, supostamente inteligentes, aceitaram aquela confusão e decidiram meter mãos à obra para erradicar o Mal, superando os 3 rapazes que já viviam com aquilo há... 21 anos? e que tinham tanto lutado para tentar vencer aquele Mal... Bem, é completamente irreal. Esta é daquelas situações em que hipótese alguma se poderia dizer "se isto fosse verdade, era assim".
You never needed to hear my thoughts, Gray, because you always listened to my heart.
Dillon to Gray, in Eternal Beast, by Laura Wright

Offline Story

  • Leitor compulsivo
  • ****
  • Mensagens: 690
    • Ver Perfil
Re: Padrões
« Responder #10 em: Novembro 23, 2010, 22:32:26 pm »
Será que pensamos assim por sermos latinas e a nossa sociedade e cultura ser bem diferente à dos países anglo-saxónicos???

Acredito que a sociedade em que vivemos nos faça estranhar certas situações que os americanos vêem/reagem de maneira diferente, mas não neste caso que estamos a falar, sobre a perfeições em (quase) todos os aspectos das personagens de NR... Perfeição é coisa que não existe seja em que sociedade for.

Outra coisa que se observa muito é a naturalidade com que as persoangens aceitam situações fora do comum. Estou agora a referir-me especialmente à trilogia Sign of Seven, aquilo é completamente surreal. A forma como 3 mulheres, supostamente inteligentes, aceitaram aquela confusão e decidiram meter mãos à obra para erradicar o Mal, superando os 3 rapazes que já viviam com aquilo há... 21 anos? e que tinham tanto lutado para tentar vencer aquele Mal... Bem, é completamente irreal. Esta é daquelas situações em que hipótese alguma se poderia dizer "se isto fosse verdade, era assim".

Que trilogia é essa???
Que dias há que na alma me tem posto
Um não sei quê, que nasce não sei onde
Vem não sei como e doi não sei porquê...

Luís Vaz de Camões

Offline sonia189

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 13.094
  • Book addict
    • Ver Perfil
    • Blog
Re: Padrões
« Responder #11 em: Novembro 23, 2010, 22:33:30 pm »
Também tem a ver como a autora retrata as coisas no papel. Por exemplo, na maioria das vezes só sabemos das dificuldades profissionais/sociais de uma personagem quando estamos no presente e ela está perfeitinha.
Não há nenhum livro onde a personagem esteja a lidar com com as dificuldades na hora. Parte do conflito poderia girar á volta disso, mas ou sabemos depois, ou acontece num momento em que não vemos...custa a dar crédito à luta e aos problemas a ultrapassar quanso não se "vêem"..digo eu...

Story!!! é a trilogia dos Seven, ainda por traduzir.
****
** Sónia **

"You say the nicest things" Butch in LR
"Say the word, Qhuinn..." B to Q in LM

"You can get addicted to a certain kind of sadness" by Gotye

Offline Story

  • Leitor compulsivo
  • ****
  • Mensagens: 690
    • Ver Perfil
Re: Padrões
« Responder #12 em: Novembro 23, 2010, 22:38:31 pm »
Hello , tou baralhada, ok???

Do que fala essa trilogia, elucida me sff!!!
Que dias há que na alma me tem posto
Um não sei quê, que nasce não sei onde
Vem não sei como e doi não sei porquê...

Luís Vaz de Camões

Offline fapmoreno

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 20.599
  • live the life you love, love the life you live
    • Ver Perfil
    • O Labirinto dos Livros
Re: Padrões
« Responder #13 em: Novembro 24, 2010, 04:32:19 am »
Story, a Trilogia In Seven fala sobre 3 amigos que estão ligados a uma maldição na cidade onde vivem. De cada sete em sete anos a cidade vira-se de pernas para o ar e é tudo destruído e as pessoas começam a ficar maluquinhas.

Mas depois , vão chegando as mulheres uma a uma e eles os seis vão combater esses acontecimentos.
Filipa Moreno.


Offline fapmoreno

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 20.599
  • live the life you love, love the life you live
    • Ver Perfil
    • O Labirinto dos Livros
Re: Padrões
« Responder #14 em: Novembro 24, 2010, 04:43:52 am »

 Estou agora a referir-me especialmente à trilogia Sign of Seven, aquilo é completamente surreal. A forma como 3 mulheres, supostamente inteligentes, aceitaram aquela confusão e decidiram meter mãos à obra para erradicar o Mal, superando os 3 rapazes que já viviam com aquilo há... 21 anos? e que tinham tanto lutado para tentar vencer aquele Mal... Bem, é completamente irreal. Esta é daquelas situações em que hipótese alguma se poderia dizer "se isto fosse verdade, era assim".

Concordo contigo quando dizes ( e já referi isso também aqui no fórum) que gosto que um livro seja credível e que me faça pensar como seria se acontecesse isto aqui e agora, etc.

No entanto, e com a Trilogia Sign of Seven que estão a falar eu acho que temos compreender que não se trata do género habitual da NR. E apesar das diversas opiniões que existem acerca dela, esta trilogia sai fora dos padrões a que fomos habituadas pela autora.

Com tanta literatura fantástica que há por aí e nós aceitamos tão bem os factos tão irreais que nos apresentam porque não esta? Ok, não será um óptimo exemplo do mundo fantástico que anda para aí, mas mesmo assim estes livros são um bom exemplo para aceitar novas realidades. Não vamos mais longe : eu acho mais difícil aceitar que o meu namorado é um lobo que vive centenas de anos do que de sete em sete anos haver uma praga de maldade no sítio onde vivo.

Eu pensei nesta trilogia como se aquele surto fosse uma praga. Ora, também nessa situação temos pessoas desvairadas, desesperadas por sobreviver, etc. E se as heroínas da SK também aceitam que os maridos são animais no sentido mais literal possível, porque não aceitar que se tem de combater um mal que assola uma localidade?
Filipa Moreno.


 

'SMF 2.0.2 | SMF © 2011, Simple Machines'
Based on imPulse2 design by BlocWeb