Clube Nora Roberts

Por favor Entre ou registe-se.

Autor Tópico: Tom Rob Smith  (Lida 396 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline andreiamorgado

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 14.639
  • Penso, por isso sou solteira. (Lizz Winstead)
    • Ver Perfil
Tom Rob Smith
« em: Outubro 21, 2010, 02:56:42 am »


Título: O Discurso Secreto
Autor: Tom Rob Smith
Editora: Livros d’Hoje
N.º Páginas: 464
Preço: 16.95€
1ª Edição: Outubro de 2010


Sinopse: A União Soviética em 1956: depois da morte de Estaline, o regime violento começa a fracturar- se, deixando para trás uma sociedade onde os polícias são criminosos e os criminosos são inocentes. Khrushchev, o sucessor de Estaline, promete uma reforma, mas há quem não consiga perdoar ou esquecer o passado. Leo Demidov, ex-oficial do MGB, enfrenta um conflito interior. As duas jovens que ele e a sua mulher Raisa adoptaram ainda terão de o perdoar por ter participado no assassinato brutal dos seus pais. Leo, Raisa e a sua família estão em grande perigo, pois há alguém com um ressentimento contra Leo, alguém que sofreu uma transformação irreconhecível e é agora o perfeito modelo da vingança. A missão pessoal e desesperante de Leo para salvar a sua família levá-lo-á dos severos Gulags da Sibéria e das profundezas do submundo do crime, ao centro da rebelião húngara – e ao inferno onde a redenção é tão frágil como o vidro.


May The Odds be Ever in Your Favour...

Offline Vespa

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 10.468
  • A leitura nutre a inteligência
    • Ver Perfil
Re: Tom Rob Smith
« Responder #1 em: Outubro 21, 2010, 04:39:39 am »
Esse livro é a continuação deste:



A Criança N.º 44

Sinopse


União Soviética, 1953.
A mão de ferro de Estaline nunca esteve tão apertada, fortalecida pelo Departamento de Segurança Estatal - uma força policial secreta cuja brutalidade não é segredo para ninguém.

Debaixo deste jugo, a população é levada a acreditar que o crime simplesmente não existe. No entanto, quando o cadáver de uma criança é encontrado na linha de comboio, o agente Leo Demidov - um herói de guerra dedicado ao Departamento - é surpreendido ao ouvir que a família da criança está convencida de ter-se tratado de um assassínio. Os superiores de Leo ordenam-lhe que ignore tal suspeita e ele obedece sem se questionar. Mas algo lhe diz que há muito mais por detrás desta história.

De um momento para o outro, a sua confiança de que tudo o que faz por ordem do Partido serve um bem maior é abalada e, arriscando tudo, Leo sente-se no dever de perseguir o terrível assassino - mesmo sabendo que ao fazê-lo se tornará, ele próprio, um inimigo do Estado...



Como gostei muito deste 1º livro, vou de certeza comprar o 2º!
« Última modificação: Outubro 21, 2010, 04:41:10 am por Vespa »
A vida só pode ser compreendida olhando para trás, mas só pode ser vivida olhando para a frente (Soren Kierkegaard)


Offline fapmoreno

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 20.599
  • live the life you love, love the life you live
    • Ver Perfil
    • O Labirinto dos Livros
Re: Tom Rob Smith
« Responder #2 em: Outubro 21, 2010, 04:43:49 am »
Hum  :-\
Filipa Moreno.


Offline BeatrizZ

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 1.995
  • A ler: O Retrato de Dorian Gray
    • Ver Perfil
Re: Tom Rob Smith
« Responder #3 em: Outubro 21, 2010, 06:01:17 am »


Acho que passo  :-[
»Love from one side hurts, but love from two sides heals» - WS

http://www.goodreads.com/user/show/5925160-beatrizz

Offline TaniaM

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 24.848
    • Ver Perfil
Re: Tom Rob Smith
« Responder #4 em: Outubro 22, 2010, 06:06:56 am »
Passo esta experiência...
A ler: Só Nós Dois de Nicholas Sparks

Offline Vespa

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 10.468
  • A leitura nutre a inteligência
    • Ver Perfil
Re: Tom Rob Smith
« Responder #5 em: Outubro 22, 2010, 19:34:21 pm »
O livro A criança n.º 44, que foi o único que li, é um policial muito bom.
O personagem principal é um agente do MGB (futuro KGB), Leo, que é um herói da 2ª guerra, e que é encarregado de ir falar com os pais de um miúdo que apareceu morto. Os pais insistem que ele foi assassinado, mas o estado não admite a existência de assassinatos no "perfeito" estado soviético.
O Leo, apesar de não estar muito convencido, lá começa a investigar e depara-se com uma enorme quantidade de crimes.
A partir daí, enquanto vai investigando, vai sofrendo as consequências de não estar a fazer o que os seus superiores lhe mandaram e vai descobrindo o quanto a sua profissão influênciou a relação com as outras pessoas, mesmo aquelas que são mais próximas dele.
A vida só pode ser compreendida olhando para trás, mas só pode ser vivida olhando para a frente (Soren Kierkegaard)


Offline sonia.cristina

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 27.834
  • Recicla. O mundo é o nosso jardim.
    • Ver Perfil
Re: Tom Rob Smith
« Responder #6 em: Janeiro 16, 2018, 09:16:23 am »
Li este:

As Sombras da Dúvida




Com um telefonema, tudo muda. «A tua mãe não está bem», diz o pai a Daniel. «Tem andado a imaginar coisas. Coisas terríveis… Teve um esgotamento psicótico e foi internada num hospital psiquiátrico.»
Confrontado com esta notícia, Daniel prepara-se para partir apressadamente para a Suécia, no primeiro voo disponível. Contudo, antes de entrar no avião, o pai volta a ligar-lhe, com notícias ainda mais preocupantes: a mãe teve alta do hospital, e ele não sabe onde ela está.

 Entretanto, Daniel recebe uma chamada da mãe: «De certeza que o teu pai já falou contigo. Tudo o que esse homem te disse é mentira. Não estou louca. Não preciso de um médico. Preciso da Polícia. Estou prestes a embarcar para Londres. Vai ter comigo.»

Sem saber em quem acreditar ou confiar, Daniel vê-se relutantemente no papel de juiz e júri da sua mãe, quando ela lhe revela uma história angustiante de segredos e mentiras, e de um crime e de uma conspiração terríveis, nos quais o seu próprio pai está envolvido.


***********

Não gostei nada!
Em primeiro lugar, prometia ser um thriller interessante e, de facto, começou de forma interessante mas depois achei demais que a maior parte do livro fosse a mãe de Daniel a contar os eventos ocorridos na quinta durante o Verão, isto até por volta da página 200, num livro de 279 páginas. Prefiro ver as coisas a acontecerem e não ler posteriormente, durante tantas páginas, sobre o que aconteceu.
Depois a revelação de tudo. Estava a mãe de Daniel a falar a sério ou era tudo fruto da sua imaginação? Ora, não gostei nada, mas nada mesmo, do que Daniel descobriu nem como tudo terminou, especialmente, o
Spoiler (click to show/hide)
You never needed to hear my thoughts, Gray, because you always listened to my heart.
Dillon to Gray, in Eternal Beast, by Laura Wright

 

'SMF 2.0.2 | SMF © 2011, Simple Machines'
Based on imPulse2 design by BlocWeb